domingo, 20 de dezembro de 2009

Uma Dica de Filme Especial


Você sabe quem é esse homem, mas não conhece a sua história.

Dirigido por Fábio Barreto (indicado ao oscar por O Quatrilho), o filme conta a vida de Luiz Inácio Lula da Silva, atual presidente da República, de sua infância até 1980, quando se tornou um famoso líder sindical e sua história passou a ser conhecida por todos.

No elenco, entre outras estrelas, estão Glória Pires, Cléo Pires, Juliana Baroni, Milhem Cortaz, Lucélia Santos, Antônio Pitanga e Rui Ricardo Diaz como Lula.

Lula, o Filho do Brasil, estreia em circuito nacional em janeiro de 2010.

Acesse o site oficial:
http://www.lulaofilhodobrasil.com.br

Papo Literário

Os amantes da literatura agora contam com um programa totalmente voltado para essa arte, o único do gênero produzido no Ceará. É o Papo Literário, apresentado por Danilo Amaral e com a participação da escritora Mônica Silveira. Entrevistas com personalidades do mundo das letras, reportagens especiais, o livro de cabeceira dos famosos e clipoemas são algumas das atrações do programa, que vai ao ar toda terça-feira, às 19h, na TV Ceará - canal 5.

Fonte: http://www.tvceara.ce.gov.br

sábado, 19 de dezembro de 2009

Dica de Filme: As Três Marias


No início dos anos 70, em pleno sertão pernambucano, Firmino (Carlos Vereza) é abandonado por sua noiva Filomena (Marieta Severo), que se casa com Borges Capadócio. Firmino passa a nutrir um profundo ódio contra a família de sua ex-noiva, chegando ao ponto de, 30 anos depois, ordenar que seus filhos matem os homens da família dela. Após saber da tragédia, Filomena convoca suas três filhas, Maria Francisca (Júlia Lemmertz), Maria Pia (Luíza Mariani) e Maria Rosa (Maria Luíza Mendonça), para arquitetar sua vingança. As três irmãs são então encarregadas de sair pelo sertão para encontrar e contratar matadores de aluguel, sendo que cada uma passa por dificuldades próprias para cumprir sua tarefa.

Revelação Musical


Revelada ao grande público no início do ano, na minissérie "Maysa", da Rede Globo, Maria Gadú lançou seu primeiro disco em junho pela Som Livre, e vem demonstrando um talento peculiar, num tempo em que novas cantoras, divas ou não, abundam por aí, num país repleto de ícones e grandes nomes do nosso cancioneiro feminino.

Com apenas 22 anos, essa paulista radicada no Rio de Janeiro, compõe e toca violão, acompanhada pela banda que conta com nomes como Stephan SanJuan, Dadi, Cesinha, Arthur Maia, Nicolas Krassik, Felipe Pinaud e Marcelo Costa, e diz não esperar muita coisa desse momento de sua vida. "Não estou esperando nada, nem crítica boa, nem crítica ruim, nem aceitação, nem reprovação, só estou curtindo", conta ela, bem à vontade, nessa entrevista exclusiva ao SaraivaConteúdo.

Além de estar "estar curtindo" o momento, como ela mesma disse, procura também não se cercar de expectativas. "Não costumo criar expectativas com as coisas. Também não fico com medo, porque medo atrapalha, até na minha convivência comigo mesmo, aí vou ficar me perseguindo.". Despretensiosamente, Maria Gadú vem à cena para disputar o concorrido espaço para cantoras e já chega mostrando personalidade. Um bom começo para a ainda menina e seu violão.

Entrevista: Thalita Rebouças


Quando Thalita Rebouças decidiu largar o trabalho de assessora de imprensa para se dedicar à literatura juvenil, sua família foi categórica: "Vai morrer de fome! É o Brasil, ninguém lê aqui". O que ninguém esperava é que ela se tornasse a escritora brasileira que mais vende livros para adolescentes.

Quantos livros já foram vendidos? “Passei dos 400 mil”, afirma, entre sorrisos, a escritora carioca.

Em dez anos de carreira, Thalita conseguiu um espaço privilegiado na cabeceira de adolescentes – em especial das meninas que, além de acompanhar a escritora pela internet, vão aos lançamentos e fazem tietagem como se estivem na frente de ícone da TV. Pode-se dizer que a autora se tornou uma celebridade literária.

“As meninas, e alguns meninos, têm uma relação muito emocionante perto de mim. Eles se emocionam, vibram, choram, abraçam... Abraço de gente que fala para mim: ‘Eu odiava ler, passei a gostar de ler com seu livro’. E do meu livro vai para Jorge Amado, Rubem Fonseca, João Ubaldo, Shakespeare, Kafka...’”, declara a escritora, que neste ano teve livros da série Retratos de Malu (Fala Sério) publicados em Portugal, sob o título Que Cena.

"Adolescentes e pré-adolescentes estão definitivamente lendo mais. No começo da minha carreira, quando ia numa escola, eu perguntava: ‘Quem gosta de ler?’ Dois ou três levantavam a mão, meio envergonhados. ‘E quem não gosta?’ Todo mundo: ‘Ahhhh...’ Agora isso não acontece. As pessoas têm vergonha em admitir que não gostam de ler, acho isso o máximo. Viva Harry Potter!", defende.

Queiram ou não, Thalita é pop, e em um universo onde isso é escasso, a literatura.

sábado, 12 de dezembro de 2009

A Casa das Sete Mulheres

video
Bailes, duelos, combates e guerras. Esse foi o universo mostrado por Erico Veríssimo ao escrever sobre a história e a cultura de seu povo, principalmente em O Tempo e o Vento. Contudo, a TV também explorou a riqueza histórico-cultural do Rio Grande do Sul ao adaptar A Casa das Sete Mulheres, minissérie escrita por Maria Adelaide Amaral e Walther Negrão, baseada no romance homônimo de Letícia Wierzchowski.

Disponibilizamos aos amantes de uma boa história adaptada algumas cenas marcantes desse grande sucesso de público e de crítica exibido em 2003 pela Rede Globo de Televisão.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

6º Encontro

No dia 28 de novembro ocorreu o último encontro de 2009 do Clube da Leitura. Dessa vez, o Clube homenageou os exatos 34 anos de morte do grande escritor Erico Verissimo numa roda de leitura, e a discussão girou em torno de suas principais obras, dentre elas, Fantoches, Clarissa, Noite, Incidente em Antares, Ana Terra e Um Certo Capitão Rodrigo.

Claro que não seria possível abordar em um único encontro toda a riqueza da linguagem usada por Erico em suas obras, mas cada participante deu sua contribuição expondo aspectos que mais chamaram a atenção no livro que escolheu para debater.

Foi bastante discutida a capacidade de Erico em criar personagens com características marcantes, que conseguem envolver o leitor em sua história, e que se completam entre si diante da tamanha intertextualidade que há em sua obra como um todo.


Foram debatidos, também, os variados estilos literários de Erico, indo desde o romance tradicional, como em Clarissa, passando pelo enredo com pano de fundo histórico, caso de O Tempo e o Vento, até chegar à denúncia “camuflada” da ditadura militar numa sociedade altamente hipócrita e corrupta, descrita em Incidente em Antares.

Acreditamos que foi mais um encontro que veio a somar conhecimentos acerca da riqueza que é a literatura brasileira e que cumpriu, mais uma vez, o objetivo principal do nosso projeto: disseminar a prática da leitura como uma forma de lazer, e fazer dela uma forma de interação social.